Os 5 hábitos dos investidores eficazes



O fato de que apenas algumas pessoas conseguem alcançar a independência financeira por meio de investimentos faz com que a razão, usualmente, seja atribuída à sorte ou a uma fórmula mágica. Isto faz com que muitos passem uma vida procurando a fórmula mágica ou tomando atitudes com pouquíssima probabilidade de sucesso, esperando pela sua vez na loteria da sorte.

O segredo para atingir a liberdade econômica está em simples atitudes, mas que são de difícil implementação, pois exigem uma grande energia inicial. O reconhecido filósofo Aristóteles, séculos antes de Cristo, já sabia o segredo, revelado por sua citação:

Somos o que repetidamente fazemos. A excelência, portanto, não é um feito, mas um hábito.

São apenas cinco hábitos que, se seguidos, podem te levar ao seu sonhado desejado. Entretanto, assim como a decolagem é a fase de maior consumo de combustível em um avião, a adoção destes hábitos exige grande esforço inicial. E é exatamente nesse início que muitos acabam desistindo ou procurando algum caminho mais fácil, mas que só leva ao ponto de partida.

A seguir listo cinco rotinas que devem ser adotadas para que trilhe o caminho da independência financeira.


Investir periodicamente


Imagine que você deseja construir uma floresta em uma região. Você pode apenas plantar uma semente e esperar que a árvore cresça. As sementes da árvore inicial e aquelas trazidas pelos pássaros, que começarão a aparecer, darão início às novas árvores e sua floresta estará formada. No entanto, esse processo levará muito tempo e, possivelmente, você não estará vivo para ver o resultado.

Se fizermos a analogia do ato de plantar ao de investir, podemos dizer que é assim que a maioria das pessoas fazem. Realizam apenas algum investimento e param. Logo, nunca verão a floresta, ou seja, não estarão vivos para ter alguma fortuna.

Agora imagine que todos os dias você plante uma semente na sua terra, ou seja, que, periodicamente, invista. E que em nenhum momento, ao longo do tempo, você corte árvores, ou seja, resgate seus investimentos.

Esta rotina de investir e não resgatar, mas apenas colher poucos frutos, fará com que sua fortuna cresça e no futuro poderá viver dela.

O hábito de investir, periodicamente, e resistir às tentações do consumo para não resgatar, é um dos mais difíceis. Porém, outro hábito demanda grande esforço, o de estudar.


Estudar


Não adianta apenas guardar dinheiro embaixo do colchão. Você precisa aplicar bem os recursos. Isto demanda estudo frequente dos produtos financeiros e das condições econômicas, para entender qual o melhor momento de realizar alterações em seu portfólio.

Em nossa analogia, com a formação de nossa floresta, para que ela cresça forte e mais rápido, é importante o estudo de técnicas agrícolas. O mesmo ocorre com os investimentos.

Este processo de educação deve ser contínuo, pois novos produtos surgem com frequência e as condições econômicas estão constantemente mudando.


Diversificar


Para sua floresta crescer forte, ela não vai ser formada por apenas uma espécie de árvore. As diferentes espécies de árvores se complementam dando mais estabilidade e robustez ao bosque. O mesmo ocorrerá com suas aplicações. Você vai precisar diversificar.

O processo de diversificar não é fácil, pois devemos resistir a dois fatores. O primeiro é a tentação do comodismo em concentrar em uma aplicação que nos dá a falsa sensação de segurança. O outro fator contra o qual devemos lutar é o desejo de aplicar apenas no ativo que subiu mais no passado recente.

A diversificação promove a melhoria do balanço de retorno e risco de seu portfólio. É ela que vai fazer com que seu portfólio sofra menos nos momentos econômicos desfavoráveis. E aproveite os instantes favoráveis de cada classe de ativo.


Fugir das fórmulas mágicas e boatos


No início do desenvolvimento da floresta é comum o desapontamento com a lentidão do crescimento. Árvores crescem devagar. Os investimentos também. Nesse instante inicial, a decepção faz com que se busque “adubos mágicos” que poderiam promover uma aceleração.

Na maioria das vezes esses “adubos mágicos” acabam por matar as pequenas árvores ainda sensíveis a elementos tóxicos.

Você provavelmente já ficou tentado a buscar formas de encurtar o caminho como: Bitcoin, “Boi Gordo”, empresas de Cannabis, e-mails com promessas de retornos astronômicos, “Superinvestimentos”, “Superprevidência”, etc.

Entenda que todo investimento, com promessa de elevado retorno, tem embutido um grande risco de perda. Não digo que não deva investir em algo inovador, mas deve ter muito cuidado. Antes de investir, reflita, como a perda pode afetar seu patrimônio.


Controlar a ansiedade


O aspecto emocional é fundamental nos investimentos. Ele é que explica o natural erro dos investidores de comprar caro e vender barato.

No longo prazo, evite vender ativos em momentos desfavoráveis e ao contrário, aproveite para comprar, nestes momentos, com os recursos de seus investimentos periódicos. Também, segure a ansiedade se seu portfólio não se valoriza mais do que o de seu amigo ou de comprar um ativo que, aparentemente não para de subir, mas que pode já estar caro.

O hábito de segurar a ansiedade nos investimentos fará com que perceba mais oportunidades verdadeiras de aplicações e escape das falsas promessas.


Estes hábitos parecem simples, mas a disciplina de realiza-los não é fácil, principalmente, no começo. Assim como no desenvolvimento de uma floresta, a criação de uma fortuna, que te levará à independência financeira, demandará esforço e disciplina em perseguir estes hábitos.

Michael Viriato é professor de finanças do Insper e sócio fundador da Casa do Investidor.

10 visualizações
  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • LinkedIn - Black Circle

Rua Dr Leo Carvalho, 74 

Ibiza Trade & Financial Center

89036-239 - Blumenau - SC

+55 47 3053-0615

contato@fairfield.com.br

Cadastro Serviços e Corretora de Seguros Ltda - Todos os direitos reservados

CNPJ: 13.381.310/0001-45 - SUSEP 20.203.64571

©2018 by Fairfield Proteção e Inteligência Financeira.